Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Trinta por uma linha

Carta aberta à minha esposa

8ea959d5-f578-45d0-9433-ea2dabf55c50.jpeg

 

Seria fácil simplesmente dizer que te amo, já que as palavras fogem da boca, quase sem querer. Seria ainda mais fácil encher-te de presentes, pois mereces cada um deles e todos os outros que te pudesse dar. Também poderia simplesmente oferecer-te a mais bela e cheirosa das flores, colhida no mais rico e formoso jardim, para que esta tentasse igualar a tua beleza. Ou então, levava-te a passear e viajávamos para um destino que almejasse estar à altura da tua graciosidade.

No entanto, sinto que tudo isso é parco. Não há presente que te mereça, flor que te iguale, nem palavras que cheguem para a tua semântica. 

Assim, tudo o que posso fazer é sentir e agradecer.

Sentir a felicidade e a realização de ter alguém como tu ao meu lado, que escolheu "um refinado patife" como eu para partilhar o resto dos seus dias. Sentir o privilégio de ser o primeiro a contemplar a beleza do teu olhar que combina na perfeição com a inocência do teu ser.

E agradecer. Agradecer tudo o que dás de ti, para que haja, a cada dia que passa, uma melhor versão de mim. Agradecer o caminho que me mostras, mesmo quando eu teimo em não o querer seguir. Agradecer o facto de alguém tão bondoso como tu aceitar ser o alicerce desta união que, se Deus quiser, trará rebentos de alegria para nós e todos os que nos acompanham.

 

Obrigado.

 

Feliz dia de São Valentim

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Categorias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D